Aleitamento.com
AmamentaçãoMãe CangurúCriançasCuidado PaternoHumanização do PartoBancos de Leite Humano Espiritualidade & Saúde DireitosProteçãoPromoçãoILCA / IBCLCConteúdo ExclusivoTV AleitamentoGaleria AMNotíciasEventosSites e BlogsLivrariaCampanhas
 
Faça seu login e utilize ferramentas exclusivas. Se esqueceu a senha, acesse o "cadastre-se" e preencha com seu e-mail.

MÃE TEM DIREITO DE FALTAR TRABALHO para CUIDAR de FILHO DOENTE

Por: O Globo - Época

Justiça: mãe pode faltar ao trabalho para levar filho ao médico


            A Justiça determinou que uma mãe que falta ao trabalho para levar o filho doente ao médico não pode ser demitida por justa causa, mesmo que as ausências sejam repetidas. Numa decisão que servirá de referência para casos semelhantes, os juízes da 4ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT-SP) deram razão à ex-funcionária de uma empresa do ramo alimentício, a Sacia, que contestava sua demissão sem pagamentos de benefícios.

A Justiça determinou que a empresa pague à ex-empregada todos os direitos trabalhistas por demissão sem justa causa.

A funcionária foi demitida pelo excesso de faltas ao trabalho. A ex-empregada apresentou atestados médicos que justificavam sua ausência para levar o filho ao médico. A empresa alegou que os documentos eram inválidos, pois a norma coletiva da categoria só aceita atestados médicos e odontológicos expedidos pelo ambulatório do Sindicato, em casos de comprovada emergência.

Segundo o juiz Ricardo Artur Costa e Trigueiros, relator do Recurso Ordinário no tribunal, a cláusula normativa utilizada pela empresa em nenhum momento dispõe que atestados particulares não são aceitos. Além disso, ele observou que a Sacia não contestou a veracidade das justificativas médicas e tampouco suscitou incidente de falsidade, pelo que tenho que os atestados são válidos e eficazes.

O relator acrescentou que, no processo, a empresa confessou saber que a criança apresentava problemas de saúde. O juiz lembrou, ainda, que a própria CLT autoriza o empregado a faltar de 24 a 32 dias por ano sem que ocorra perda do direito às férias.

Época Online, com informações de O Globo 14/06/2005


Última atualização: 4/8/2011

 

Curtir

Comentários


Essa é uma área colaborativa, por isso, não nos responsabilizamos pelo conteúdo. Leia nossa Política de Moderação.
Caso ocorra alguma irregularidade, mande-nos uma mensagem.

 

Depoimentos

Gostou do site? Ele te auxiliou em algum momento? Deixe seu depoimento, assine nosso livro de visitas! Clique aqui.

Quem Somos | Serviços | Como Apoiar | Parceiros | Cadastre-se | Política de Privacidade/Cookie/Moderação | Fale Conosco
O nosso portal possui anúncios de terceiros. Não controlamos o conteúdo de tais anúncios e o nosso conteúdo editorial é livre de qualquer influência comercial.
Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar no mesmo, está a consentir a sua utilização. Caso pretenda saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade/Cookie.
24 Ano no ar ! On-line desde de 31 de julho de 1996 - Desenvolvido por FW2 Agência Digital